26 de jun de 2012

Gilberto Passos Gil Moreira

Um dos maiores nomes da canção brasileira - e talvez pouco compreendido em boa parte de sua jornada musico-político-social-espiritual, Gilberto Gil faz aniversário neste dia 26 de junho. Em homenagem a ele, o Pergunte ao Pop selecionou dez favoritas da casa - algumas bastante conhecidas, outras nem tanto - em uma mixtape para não sobrar pedra sobre pedra. E, pela primeira vez, por uma questão de ordem, além do player tosco do Grooveshark, disponibilizamos aqui o download da seleção, a pedidos dos amigos :)

Gilberto Passos Gil Moreira by Bruno Capelas on Grooveshark

Gilberto Passos Gil Moreira (via Mediafire)

Domingo no Parque (c/Os Mutantes) - 1968
Aquele Abraço - 1969
A Luta Contra a Lata (ou a Falência do Café) (c/Os Mutantes) - 1968
Chuckberry Fields Forever (c/Doces Bárbaros) - 1974/1976
Questão de Ordem (c/Os Beat Boys) - 1968
Geléia Geral - 1968
Expresso 2222 - 1972
Oriente - 1972
Essa é Pra Tocar no Rádio (c/Jorge Ben) - 1975
Luzia Luluza - 1968

15 de jun de 2012

Rapidinha: Os Pontos Negros


Os Pontos Negros - Soba Lobi - 2012

Em seu terceiro disco, os portugueses dos Pontos Negros voltam com mais peso nas guitarras e um pouco mais de raiva nas letras, depois de “Pequeno Almoço Continental”, de 2010, por cujos refrões Julian Casablancas daria um braço. Com uma formação que conta com duas guitarras, bateria e teclados, a banda tem nome inspirado nos White Stripes, mas nega a inspiração em uma das melhores músicas de 2012, “Senna”, cuja letra proclama: “Esse mundo quer ser Schumacher/Eu prefiro ser Ayrton Senna”. Ao longo do álbum, eles ainda cutucam a louvação da melancolia (“Eu + Eu = Ninguém”), chamam Dom Sebastião de “mandrião”, espelhando o momento político de Portugal (“Prolongamos o Sonho”) e contam a trágica história de uma garota que vestia uma t-shirt dos Ramones (“Gabriela”). No final, porém, eles avisam que “depois da queda vem a ascensão”. Para além do sotaque, “Soba Lobi” mostra que devíamos prestar mais atenção ao rock feito do outro lado do Atlântico.



12 de jun de 2012

Rob Fleming no Dia dos Namorados

Como bom leitor de Alta Fidelidade que sou, não é segredo para ninguém que gasto boa parte do meu tempo pensando em listas aleatórias de combinações de canções favoritas - uma mania que creio compartilhar com muitos dos que leem este endereço. 

Sabendo desse meu peculiar interesse, o grande Vinícius Battistini me desafiou quando nós dois saíamos do bonito show do Ian McCulloch em maio, no que eu considerei a tarefa última de um Rob Fleming: escolher dez canções que você cantaria para demonstrar o seu amor a uma pessoa amada. A tarefa parecia fácil, mas ele me deu três condições importantes: as músicas dessa seleção não poderiam falar de saudade, nem de um sentimento de abandono ("de corno"), e só uma delas poderia ser brega. Além disso, uma condição limita a lista: apenas três canções dos Beatles (e de seus membros em carreira solo) poderiam ser usadas ao longo da jornada. 

Na hora, pensei em uma lista qualquer, para não negar fogo, mas aquilo foi me deixando intrigado, e não consegui chegar a uma solução definitiva. O que mostro para vocês agora, como minha comemoração particular do Dia dos Namorados, é a lista que eu cantaria hoje, se por acaso eu tivesse alguém para cantar essas canções. (Vale dizer: fica muito mais difícil elaborar uma lista dessas sem ter um rosto definido. Qualquer música com nome de mulher cairia fora, por exemplo. Ou não, como diria Walter Franco). Espero que vocês gostem, e deixo o desafio para saber a lista de vocês.

Rob Fleming no Dia dos Namorados by Bruno Capelas on Grooveshark

PS: Uma única ressalva. Por culpa da (falta de) acervo do Grooveshark, a versão referida de "Don't Let Me Down" é a dos Stereophonics. Por favor, pensem na voz do Lennon quando canta aquele refrão, ok? 

10 de jun de 2012

Melhor Hambúrguer da Cidade: America

Começo aqui outra sessão do Pergunte ao Pop: Melhor Hambúrguer da Cidade é a incessante busca deste que vos escreve em poucas linhas pelo lanche mais saboroso, apetitoso (e barato) da cidade de São Paulo (e arredores. São Caetano é um bairro não reconhecido de SP). O primeiro lanche avaliado é o Barbecue Burger, do America. Bom apetite!

Pra começar bem a sessão, resolvi ir com meus pais ao novo America do Park Shopping São Caetano. Nunca tinha ido a um restaurante da rede em São Paulo, e financiado pelos pais a coisa fica um pouco mais fácil. Depois de uns bons minutos observando o cardápio (que não cabe no bolso, vale dizer), escolhi o lanche que vocês veem aqui ao lado, o Barbecue Burger: 150g de hambúrguer (ao ponto), mais queijo prato derretido, cebola grelhada, molho barbecue e bacon, por R$ 20,70. 

Depois de alguns (longos) minutos de espera, os primeiros bocados valem bem a pena: o gosto vindo da grelha pega bem na carne, o queijo é derretido na medida certa e o bacon (bem tostadinho) e a cebola trazem uma boa crocância pro lanche como um todo. A pesar contra, a falta de sal no sanduba (ainda que bem resolvida com catchup Heinz) e uma sensação de "estou pagando mais que deveria" me incomodaram durante a refeição toda, que foi arrematada com a Coca-Cola que se vê ali ao lado. No saldo geral, vale mais pela experiência (leia-se: ok, comi um lanche do America) do que exatamente pelo lanche em si - um x-bacon de uma boa padaria faz boa competição com esse aqui, viu? 

Nota (de 0 a 5): 2,5 fatias de bacon

Ranking MHC Pergunte ao Pop (a ser atualizado): 
1 - Barbecue Burger, America

8 de jun de 2012

Dia dos Namorados (ou dos Solteiros)

Três tabelinhas rápidas antecipando o dia dos namorados (porque o Pergunte ao Pop, apesar de solteiro, gosta de datas comemorativas, como vocês bem sabem). As duas primeiras são para quem, na verdade, está solteiro e não quer passar o dia dos namorados vendo comédias românticas e tomando sorvete debaixo das cobertas com as amigas. 


Falo pouco do que eu faço no trabalho aqui (em breve, vou linkar algumas entrevistas bem bacanas que eu fiz por lá), mas começo falando desse texto. Na semana passada, entrevistei um dating coach para coletar algumas dicas de como conseguir alguém até a véspera do dia de Santo Antonio. Dating coach? Sabe "Hitch", aquele filme que passa toda hora na Globo com o Will Smith? Então... um conselheiro amoroso. Confira comigo (no replay) doze dicas que podem salvar o seu coraçãozinho até terça-feira. 



Pelo visto, não fui só eu que inventei essa de "dar dicas". Em seu último vídeo, com direito a citação de David Bowie, o boneco Marcelinho gasta alguns bons minutos explicando para seus espectadores como se dar bem até semana que vem. Arrumar o cabelinho, é claro, é uma das sugestões do boneco mais amado da cidade. 






Já a terceira sugestão dessa sexta-feira modorrenta é o novo blog do Jorge Wagner, amigo paracambiense (chamar de carioca é sacanagem), fã de HEALTH e colaborador do Scream & Yell. Dessa vez, ele investe no universo da análise pop do amor, ao melhor estilo hornby-hollywood-bottoniano de ser. Perdoem o trocadilho infame do título (um beijo pra você, Clarice) e sigam em frente, porque vale a pena - não é todo dia que se vê um blog misturando Wilco e Raça Negra logo em suas primeiras linhas. We hope you enjoy the show. 

7 de jun de 2012

Tributo à Legião Urbana


Uma semana depois do show, você pode conferir no Scream & Yell o meu relato-reflexão sobre o tributo à Legião Urbana orquestrado pela MTV, com Wagner Moura nos vocais. Tá grande, mas juro que vale a pena ler, viu?

“Quem irá dizer que não existe razão nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer que não existe razão?”, cantou Renato Russo em 1986, na música “Eduardo e Mônica”, um dos maiores sucessos de sua banda, a Legião Urbana. Vinte e seis anos depois, essa frase, que serve como moldura para uma das histórias de amor mais conhecidas do Brasil, funciona como uma luva para explicar o que foi o tributo à banda de Brasília feito pelo ator Wagner Moura e pelos dois legionários remanescentes, o guitarrista Dado Villa-Lobos e o baterista Marcelo Bonfá. Em ideia orquestrada mercadologicamente pela MTV, os três, com a ajuda de convidados especiais, realizaram dois shows no Espaço das Américas, em São Paulo, nos dias 29 e 30 de maio de 2012. E o que se viu no espaço de eventos da Barra Funda, que conta com um dos piores sistemas de som da cidade, foi uma disputa entre a razão e o coração...  (continua lá)